O que é?

Home / Cortiça / O que é?

Versátil e Única

A cortiça é a casca do sobreiro. É um tecido vegetal 100% natural e é constituída por uma colmeia de células microscópias que têm um gás idêntico ao ar e revestidas sobretudo por suberina e lenhina. Tem uma abrangência de aplicações a atributos que nenhuma tecnologia conseguiu, até hoje, imitar, igualar ou ultrapassar.

100% natural

É uma matéria-prima 100% natural, 100% reutilizável e 100% reciclável extraída dos sobreiros sem nunca prejudicar o normal desenvolvimento da espécie e sem danificar a árvore. A cortiça extraída é aproveitada a 100%. Mas depois de transformada, por exemplo em rolhas, a cortiça pode voltar a entrar no processo produtivo. As rolhas de cortiça podem ser recicladas por trituração. O granulado resultante desse processo pode ser utilizado em outros produtos como, por exemplo, solas de sapatos, painéis de revestimento, boias de pesca.

Propriedades Intrínsecas

Leve

Mais de 50% do seu volume é ar, o que a torna muito leve. Pesa apenas 0,16 gramas por centímetro cúbico e é capaz de flutuar.

Impermeável a líquidos e a gases

Totalmente impermeável a líquidos e praticamente impermeável a gases, graças à suberina e cerina presentes na constituição das suas células. A sua resistência à humidade permite-lhe envelhecer sem se deteriorar.

Elástica e compressível

Pode ser comprimida até cerca de metade da sua largura sem perder qualquer flexibilidade e descomprime recuperando a sua forma inicial e volume assim que deixa de ser pressionada. Flexibilidade que que é dada pelas suas células estanques e constituídas por uma mistura gasosa semelhante ao ar. É o único sólido que sendo comprimido de um lado não aumenta de volume do outro. Dada a sua elasticidade é capaz de se adaptar às variações de temperatura e pressão sem sofrer variações.

Excelente isolante térmico e acústico

Os 40 milhões de células em cada centímetro cúbico de cortiça funcionam como um autêntico absorvedor de decibéis, tornando-a num excelente isolante de som e vibrações. A sua estrutura molecular permite absorver calor e de o conservar por muito tempo.

Combustão lenta

A lenta combustão da cortiça torna-a um retardador natural do fogo e uma espécie de barreira contra os incêndios. A cortiça não faz chama e não liberta gases tóxicos durante a combustão.

Antiestática e hipoalergénica

Não absorve o pó e evita o aparecimento de ácaros e, por isso, contribui para a proteção contra alergias.

Resistente ao atrito

Resistente ao desgaste, a cortiça, graças à sua estrutura em favo de mel, é muito menos afetada pelo impacto ou atrito do que outras superfícies duras.

Estrutura química

As células da cortiça têm uma forma de prisma pentagonal e, por vezes, hexagonal. A altura de um destes minúsculos prismas ronda os 40 a 50 micrometros (milésimos de milímetro). As células mais pequenas medem 20 ou mesmo só 10 micrometros. Em média existem cerca de 40 milhões de células em cada centímetro cúbico de cortiça ou aproximadamente 800 milhões de células numa única rolha de cortiça.

Por dentro da cortiça

As múltiplas qualidades da cortiça só podem ser compreendidas depois de uma análise minuciosa da sua composição química, onde se identificam os seus vários compostos e respetivos valores médios:

  1. Suberina (45%)
  2. Lenhina (27%)
  3. Polissacáridos (12%)
  4. Ceróides (6%)
  5. Taninos (6%)

A principal componente da cortiça é a suberina, uma mistura de ácidos orgânicos a partir da qual são formadas as paredes das suas células, impedindo a passagem de água e de gases. As propriedades da suberina são notáveis, pois é praticamente infusível, insolúvel na água, no álcool, no éter, no clorofórmio, no ácido sulfúrico concentrado, no ácido clorídrico, etc..

A essência da cortiça é definida pelas suas células que estão agrupadas numa estrutura alveolar característica. Num centímetro cúbico da cortiça contam-se cerca de 40 milhões de células dispostas em fiadas perpendiculares ao tronco de sobreiro.

Cada célula tem a forma de um minúsculo prisma, pentagonal ou hexagonal, cuja altura não ultrapassa os 40 a 50 micro metros (=milésimos de milímetro). As células mais pequenas medem 20 ou mesmo 10 micro metros. Maiores ou menores, todas as células são preenchidas por uma mistura de gases semelhante ao ar. Uma prancha de cortiça, por exemplo, contém cerca de 60% de elementos gasosos, o que explica a sua extraordinária leveza. É este agregado de pequenas almofadas que concedem à cortiça uma compressibilidade fora do vulgar. Em simultâneo, graças à impermeabilidade que a suberina dá às paredes da célula da cortiça, esta é hermética. O gás nela contido não pode sair, sendo o fundamento da elasticidade do tecido e também da sua má condutibilidade térmica. Possui, ainda, uma massa volúmica média de cerca de 200 kg/m3.

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar