Rolhas Naturais

Rolhas Naturais

A produção das rolhas naturais passa por várias fases. As mais marcantes são a brocagem, momento em que a tira de cortiça é perfurada dando origem à rolha de uma única peça, e a seleção – escolha minuciosa para a separação das rolhas pelas diferentes classes.

Industry_Stoppers (13)
Industry_Stoppers (15)
Industry_Stoppers (2)

Cozedura das pranchas

Após o período de estabilização ou repouso, as pranchas de cortiça amadia (proveniente do terceiro descortiçamento) são cozidas em água limpa e a ferver. O processo de cozedura tem a duração de pelo menos uma hora. Os objetivos da cozedura são:

  1. Limpar a cortiça;
  2. Extrair-lhe as substâncias hidrossolúveis;
  3. Aumentar a sua espessura e assim reduzir a sua densidade;
  4. Torná-la mais macia e elástica.

Antes da cozedura, as células da cortiça estão comprimidas de forma irregular, mas durante este processo, o gás contido dentro das células expande. Em resultado, a estrutura da cortiça torna-se mais regular e o seu volume aumenta em cerca de 20%. A cozedura é uma operação prescrita pelo Código Internacional da Práticas Rolheiras. Uma operação que, além de melhorar a estrutura interna da cortiça, também contribui para que a microflora seja substancialmente reduzida. Várias empresas rolheiras usam processos complementares para obter uma melhor desinfeção, sendo que outras utilizam sistemas dinâmicos onde a água está constantemente a circular e ao mesmo tempo a ser descontaminada antes de entrar novamente no ciclo de cozedura.

Estabilização

Após a cozedura, decorre a estabilização da cortiça. Só depois deste período, que se estende por duas a três semanas, é que se procede à seleção das pranchas. A estabilização serve para aplanar as pranchas e permitir o seu repouso. Só assim a cortiça obtém a consistência necessária para a sua transformação em rolhas. A estabilização permite que a cortiça atinja, ainda, o teor de humidade ideal para o seu processamento e que é de cerca de 14 por cento.

Seleção das pranchas e Rabaneação

Os bordos das pranchas são preparados e as arestas aparadas antes de se proceder a uma avaliação manual inicial. As pranchas são separadas por classes de qualidade com base na espessura, porosidade e aspeto.

Depois, as pranchas de cortiça são cortadas (rabaneadas) em tiras com uma largura ligeiramente superior ao comprimento da rolha a fabricar.

Brocagem

A brocagem designa o processo manual ou semiautomático que consiste em perfurar as tiras de cortiça com uma broca. Obtém-se assim, uma rolha cilíndrica em conformidade com os limites dimensionais desejados. Todos os desperdícios da fase de brocagem são aproveitados para granulado de cortiça. A cortiça que não dá diretamente origem à rolha de cortiça natural, o topo de gama das rolhas, será aproveitada para granular e fazer rolhas técnicas. Ou, ainda, para fabricar os produtos de cortiça aglomerada que são usados no isolamento e como Material de Construção Decoração e Design.

Retificação

Após a brocagem, a retificação servirá para obter as dimensões finais previamente especificadas e para regularizar a superfície da rolha.

Seleção

Vulgarmente designada por escolha, é a operação destinada a separar as rolhas acabadas em classes diferenciadas, sendo que a determinação de cada classe é feita por controlo automático da superfície das rolhas. Em alguns casos, a seleção é feita por escolha visual e manual, através da perícia do olho humano. Durante esta fase, além de serem definidas as qualidades são, também, eliminadas as rolhas com defeitos.

Lavagem

Após a retificação, procede-se à lavagem das rolhas que pode ser feita utilizando água oxigenada ou ácido paracético. Este banho serve para limpar e desinfetar as rolhas, mas podem ser utilizados outros métodos como o micro-ondas ou o ozono.
Depois da lavagem/desinfeção, o teor de humidade é estabilizado, obtendo-se assim uma otimização da performance da rolha como vedante e reduzindo, em simultâneo, a contaminação microbiológica.

Colmatagem

Eventualmente, as rolhas poderão ser colmatadas, dando origem às rolhas colmatadas. A colmatagem consiste em obturar os poros na superfície das rolhas (lenticelas) com uma mistura de pó de cortiça resultante da retificação das rolhas naturais. Para a fixação do pó nos poros (lenticelas) é utilizada uma cola à base de resina natural e uma cola à base de água. A colmatagem serve para melhorar o aspeto visual da rolha e a sua performance.

Marcação ou Branding

Esta operação é realizada de acordo com as indicações do cliente para o tipo de marca a aplicar. Como modo de impressão existe a impressão a tinta (de qualidade alimentar), a marcação a fogo ou, ainda, a marcação a laser.

Depois da marcação, trata-se a superfície da rolha com parafina ou silicone para facilitar quer a sua introdução na garrafa, quer a sua posterior extração pelo consumidor final.

Embalagem e Transporte

Quando finalizada a produção, as rolhas são embaladas em sacos de plásticos repletos de SO2 (anidrido sulfuroso), um gás inibidor do desenvolvimento microbiológico. Só, então, serão transportadas até ao engarrafador de vinhos ou de bebidas espirituosas.

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar