Entrevista a Celsus

Home / Entrevistas / Entrevista a Celsus

Entrevista a Celsus

Cortiça é muito mais do que uma simples rolha

Vestir uma prancha foi o desafio lançado ao estilista Celsus (Celso Assunção). A cortiça surgiu naturalmente como a solução, por se tratar de um produto ecológico e português. Mas o gosto pelo material não fica por aqui. A moda irá conhecer brevemente outras peças do autor.

Como nasceu a ideia de elaborar uma prancha com cortiça? Pode explicar melhor o projecto?
Celsus – O desafio surge por parte do Francisco Gonçalves, shaper da White Banana, marca que produz pranchas de surf, no sentido conceptual de “vestir” pranchas. Este projeto resulta numa coleção de pranchas com tecido no seu interior que vai conferir um nível estético interessante devido aos diferentes padrões que estamos a utilizar.

O contacto com a Amorim CorK Composites possibilitou a colocação de cortiça, da mesma forma que o tecido é colocado, dando a conhecer o produto CORECORK – folha de cortiça e lançando assim esta coleção, tendo como principal objetivo promover o produto nacional através da cortiça, do design e da moda.

Porque decidiu usar a cortiça neste projecto?
Porque quis criar um produto tipicamente nacional e o objetivo desta associação foi a promoção do produto português. Para quem não sabe, Portugal é o maior produtor mundial de cortiça e assim sendo esta imagem faz parte da nossa identidade.

A cortiça, para além de oferecer uma nova estética ao produto, confere maior resistência à prancha e contribui para a absorção da trepidação causada pelas ondas na prática do surf.

Que características atribui ao material e que a diferenciam de outros produtos alternativos?
Cada vez mais devemos ter uma preocupação ambiental presente no dia-a-dia do nosso trabalho. Eu tenho isso em mente desde que iniciei o meu percurso na moda. Já desenvolvi várias coleções e trabalho ecofashion pela Europa fora.

Esta é uma prancha que é constituída por materiais ecológicos e a cortiça integrou esse leque.

De salientar que todo o material ecológico que compõe a prancha é mais caro do que o normal, mas temos “obrigação” de zelar pelo nosso ecossistema e de ter uma preocupação ambiental presente no nosso trabalho. Se transmitirmos isso e se tivermos presente esta consciencialização, poderemos contribuir para um mundo melhor.

Onde podemos encontrar esta prancha à venda e porque valor?
A prancha está à venda em www.celsus.pt, por encomenda, pelo valor de 650€ (IVA incluído),

e a partir de Maio, em alguns surfcamps do país, cujas parcerias estão a ser fechadas agora.

Há algum surfista de renome que já a tenha utilizado? McNamara seria uma ambição?
Ainda nenhum surfista de renome a utilizou, talvez porque não se trata de uma prancha de competição…

Claro que McNamara seria uma ambição, pelo mediatismo, mas não creio que ele se interesse por esta prancha. Só se for pela curiosidade no produto e pela questão ecológica. É uma prancha que não traz mais-valias à atividade que ele pratica. Ele utiliza pranchas estáveis, super-resistentes e rápidas, esta é uma fun-board. Só mesmo para “curtir”.

O que estão a fazer para a divulgação da prancha? Presença em feiras da especialidade? Outras?
A prancha é um produto de sucesso pelo seu design interessante e pelos materiais utilizados, a comunicação social abraçou este projeto e divulgou-o muito bem. A web, através das redes sociais é claramente um excelente motor de divulgação, e sim, algumas feiras de desporto, de design, de inovação ou de turismo.

Como estilista já usou a cortiça noutras aplicações?
Sim, estou a usar de momento.

Onde e porquê?
Não posso ainda revelar, mas fica para breve a sua apresentação. Só posso referir que mantenho a identidade do produto tipicamente nacional e o objetivo ser a promoção do produto português, do design e da moda.

Alguns projectos com cortiça para o futuro?
Penso que estamos a assistir a um crescimento rápido a todos os níveis no que diz respeito à utilização da cortiça no design e na tecnologia. Na indústria naval, na ciência, no desporto, no lifestyle, na moda, encontramos quase diariamente novidades na utilização da cortiça. É muito bom podermos tirar partido estético através da sua utilização, mas sobretudo usufruir dos benefícios das suas características técnicas como a sua memória elástica, isolamento térmico, acústico e antivibrático, durabilidade ilimitada sem perda das suas características e o facto de ser totalmente reciclável.

Em poucas palavras como definiria a cortiça?
Cortiça é muito mais do que uma simples rolha. Descubram-na!

Perfil

Licenciado em Design em 2003, pela Universidade de Aveiro, CELSUS – nome artística de Celso Assunção – deixa para trás uma aprendizagem global sobre o que é a arte de criar coisas fantásticas e minimais.

Desde a procura e desenvolvimento do conceito, da origem dos primeiros esquiços ao grafismo e depois a arte final e impressão, tudo isto contribuiu para a formação e forma de estar e comunicar da marca CELSUS. O pensar os materiais, o imaginar o 3D, a prototipagem e depois o acabamento final, é considerado pelo designer como “um filho, algo que sai de dentro de nós, é a nossa criação. É o produto que imaginamos e criamos e queremos que as pessoas disfrutem dele.” É com esta postura que o criador aveirense de 35 anos prossegue a sua carreira na área industrial e continua a criar para a sua marca de autor.

Autointitulando-se como um criador de atitudes, refere que cada uma das suas peças está ao nível da autoconfiança de quem as usa. Os produtos são exclusivos e muito limitados, alguns únicos, feitos com “dedicação e amor”.

Um homem das artes, reflete o seu trabalho na passerelle, CELSUS desenvolve trabalho em diferentes áreas artísticas como é o caso da música, artes plásticas, design, teatro, cinema, fotografia, entre outras. Na moda, como profissional, nota-se que procura estabelecer sempre um elo entre essa base e o objectivo final, a apresentação sazonal na passerelle.

O seu trabalho ganhou destaque na semana da moda nacional, através do ‘Portugal Fashion’, onde a crítica dos media foi fortemente positiva, graças ao espectáculo criado em cada desfile de colecção. A originalidade captou atenções dos mais críticos da moda e imprensa internacional.

Para além do trabalho desenvolvido na marca própria, tem várias participações internacionais ligadas ao desenvolvimento ECO-FASHION. Nestas participações o seu trabalho já passou pela Grécia, Espanha, Hungria, Itália, França, Jordânia, Líbano e Egipto.

A prancha ecológica revestida a cortiça, com a parceria da Amorim Cork Composites tornou-se numa referência mundial do seu trabalho ECO, tendo sido falado em todo o mundo através de notícias e reportagens.

A participação em semanas internacionais de moda passa a ser cada vez mais uma realidade, devido à intenção em expandir a marca. A sua mais recente prestação foi na Semana da moda da Bielorussia onde a imprensa internacional o classificou como «o mais carismático dos estilistas».

CELSUS está também associado a causas humanitárias tendo em sido, entre outros projectos, convidado pela fundação do Gil e Museu de Chapelaria de S. João da Madeira para criar um chapéu no âmbito do projecto “Um chapéu por um sorriso”.

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar

carlos-alziramonicagoncalves