Como obter o “pop” perfeito ao abrir o espumante?

Home / / Como obter o “pop” perfeito ao abrir o espumante?

A professora universitária britânica Eugenia Cheng criou uma fórmula matemática que permite alcançar o som ideal da rolha na abertura de um espumante, alegando que o segredo está na temperatura de conservação da garrafa.

Uma ajuda preciosa para os milhões de consumidores que, nesta época festiva, vão fazer saltar as rolhas das suas garrafas e impressionar os amigos com o ‘pop’ perfeito.

A fórmula determina que uma garrafa de espumante deve ser arrefecida para 6,7 ​​graus Celsius e a força de extração aplicada para fazer saltar a rolha de cortiça deve ser reduzida.

Como um frigorífico típico apenas esfria uma garrafa a 11 graus, a experiência revela que, para reunir as melhores condições e atingir os 6,7 graus, a garrafa precisa de ser arrefecida num balde de gelo durante 40 minutos.

O tal som ideal, aquele que nos transporta para um clima de celebração e festa, foi descoberto usando um software de computador, conhecido como análise espectral, para analisar o “anel” que ele produz e a pesquisa revelou que o “anel” mais desejável de uma rolha de cortiça pop está num nível constante entre 8.000Hz e 12.000Hz, denominado “brilho” por engenheiros de som.

Este intervalo atrai o ouvido humano porque a frequência constante cria sons comparáveis ​​ ao canto dos pássaros, enquanto que os lançamentos com intensidade de frequência flutuante causam ruídos bruscos, tal como pregos no quadro de ardósia. Para ajudar os consumidores a alcançar esse “pop perfeito” nas suas casas, Eugenia Cheng voltou-se para matemática, usando duas variáveis ​​- temperatura e pressão manual – para criar a fórmula para o pop perfeito.

som

“O som de uma rolha de cortiça a saltar da garrafa é indubitavelmente associado à celebração, mas há uma disputa sobre se um pop deveria ser alto e borbulhante, ou quieto e reservado, e fiquei intrigada ao ver o que a matemática nos poderia dizer sobre isso”, refere Eugenia Cheng.

“O som da rolha de cortiça a saltar de uma garrafa de espumante é especial e único e que deve ser celebrado. A investigação da Dra. Cheng é fascinante e esperamos que muitas pessoas se divirtam a criar o pop perfeito durante esta época festiva”, considera João Rui Ferreira, presidente da Associação Portuguesa da Cortiça.

Recorde-se que a Universidade de Oxford realizou, em julho, um estudo cujos resultados demonstraram que os participantes consideraram que o vinho tem melhor qualidade (+15%) depois de ouvirem o som da rolha de cortiça ao abrir uma garrafa de vinho.

De realçar, ainda, que estes dados reforçam os diversos estudos, a nível mundial, que concluíram que a rolha de cortiça é a preferida por mais de 91% dos consumidores de vinho.

Notas ao Editor

Associação Portuguesa da Cortiça (Apcor)

É a única associação nacional que representa a indústria de transformação da cortiça. Nasceu em 1956, em Santa Maria de Lamas, concelho de Santa Maria da Feira, no coração da indústria da cortiça.

Possui cerca de 280 associados, que representam 80 por cento da produção nacional e 85 por cento das exportações de cortiça e que cobrem todos os sub-setores da indústria – preparação, transformação e comercialização.

Promover e valorizar a cortiça e os seus produtos, assim como representar e apoiar as empresas do setor nos mais variados domínios são os objectivos da Apcor. Principais áreas de intervenção: Internacionalização; Inovação e Desenvolvimento; Informação; Serviços de Apoio; Qualidade; Contratação Colectiva; e Cooperação Institucional.

Para mais informações, contacte, por favor:

Joaquim Lima
Tel. 22 747 40 40
E-mail: realcork@apcor.pt
www.apcor.pt

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar

DSC_0145DSC_0109_2