Sete prémios na Gala da Cortiça 2013

Home / / Sete prémios na Gala da Cortiça 2013

A APCOR promoveu, no dia 04 de Outubro, a 4ª Gala Anual da Cortiça. Este evento, que se repetiu pelo quarto ano consecutivo, teve lugar no Convento de Espinheiro, em Évora, e pretendeu valorizar e reconhecer a excelência de personalidades e/ou entidades que, nos últimos anos, se destacaram e contribuíram para a promoção, desenvolvimento e crescimento do sector e da fileira da cortiça.

Homenageados da esquerda para a direita: Alexandre Farto, Enric Vigas, Jorge Monteiro, Jorge Mendes Pinto de Sá, Maria Augusta Casaca, Henrique Ferreira Veiga de Macedo, João Lopes Fernandes e Ricardo Sousa. Ao centro Secretário de Estado e presidente da APCOR

A APCOR elegeu sete categorias de Prémios que distinguiram diferentes áreas do saber. Os premiados foram:

  • Prémio Inovação – Ricardo Sousa, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Aveiro, pela aplicação da cortiça, em substituição do esferovite, em capacetes anti-choque;
  • Prémio Conhecimento- Systecode – Sistema de Acreditação das Empresas mediante o Código Internacional das Práticas Rolheiras -, pela implementação na indústria de um sistema de qualidade na produção das rolhas, prémio atribuído à C.E.Liège – Confederação Europeia da Cortiça;
  • Prémio Informação – Maria Augusta Casaca, jornalista da TSF, pela sua reportagem “O País da Cortiça”;
  • Prémio Floresta – Fundação João Lopes Fernandes, pelos trabalhos de investigação e de promoção que tem desenvolvido em prol do sobreiro;
  • Prémio Revelação – Alexandre Farto aka Vhils, pelos seus trabalhos em cortiça – Diorama Cork Faktory;
  • Prémio Rolha de Cortiça – ViniPortugal, pelo seu trabalho de promoção dos vinhos portugueses e do apoio à Apcor na promoção conjunto entre vinho e cortiça;
  • Prémio Mérito – Henrique Ferreira Veiga de Macedo e Jorge Mendes Pinto de Sá, pelo trabalho associativo que desenvolvem há mais de 35 anos em benefício do sector da cortiça.

Para o Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Francisco Gomes da Silva, que deu inicio à cerimónia de entrega dos prémios, “esta Gala tornou-se já um marco incontornável do ano corticeiro nacional”. Depois de reconhecer a importância da fileira da cortiça tanto em termos económicos como ambientais e sociais, o Secretário de Estado referiu alguns dos grandes desafios que se colocam ao sector nos próximos anos, e qual o contributo que o Estado está empenhado em dar para que eles sejam ultrapassados com sucesso: “A sanidade e declínio do montado, a inovação em matéria de gestão de montados, o fortalecimento da organização da fileira interprofissional, o aumento da produtividade dos montados e da qualidade da matéria-prima, aliados à preocupação com a valorização dos serviços dos ecossistemas de montado são pontos que procuraremos manter na ordem do dia”.

Presidente da APCOR, João Rui Ferreira, e Secretário de Estado das Florestas, Francisco Gomes da Silva

Para o presidente da APCOR, João Rui Ferreira, “este foi mais um momento de prestígio e de orgulho, uma vez que tivemos a oportunidade de enaltecer personalidades e entidades de renome nacional e internacional.” “É pois mais uma iniciativa que eleva a cortiça aos mais altos padrões da qualidade e que pretende ser também um incentivo para que as entidades externas ao sector e nas mais diversas áreas continuem a promover e a divulgar a cortiça, a investigar e a informar sobre este produto inigualável.” E terminou: “para o ano iremos continuar a homenagear quem muito fez, quem muito faz e quem muito fará por algo que é parte do nosso desígnio nacional”.

O evento contou com uma forte adesão dos associados da APCOR e de entidades externas ao sector, num total de mais de 200 pessoas.

Panorâmica da Sala, no Convento do Espinheiro (Évora)

O júri da Gala foi constituído pelo presidente da APCOR, João Rui Ferreira, por Helena Pereira, ex-Reitora da Universidade Técnica de Lisboa e professora do Instituto Superior de Agronomia (ISA), e Armando Sevinate Pinto, actual assessor do Presidente da República e ex-ministro da agricultura.

O evento teve o apoio principal da LeasePlan – Comércio e Aluguer de Automóveis e Equipamentos Unipessoal, Lda. – e, ainda, o apoio de Aon Portugal – Corretores de Seguros, S.A.; Bureau Veritas; e NextiraOne Portugal – Soluções e Serviços Integrados de Comunicações, S.A.

Notas ao editor

Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR)

É a única associação nacional que representa a indústria de transformação da cortiça. Nasceu em 1956, em Santa Maria de Lamas, concelho de Santa Maria da Feira, no coração da indústria da cortiça.

Possui mais de 250 associados, que representam 80 por cento da produção nacional e 85 por cento das exportações de cortiça e que cobrem todos os sub-sectores da indústria – preparação, transformação e comercialização.

Promover e valorizar a cortiça e os seus produtos, assim como representar e apoiar as empresas do sector nos mais variados domínios são os objectivos da Apcor. Principais áreas de intervenção: Internacionalização; Inovação e Desenvolvimento; Informação; Serviços de Apoio; Qualidade; Contratação Colectiva; e Cooperação Institucional.

Informações sobre as Galas anteriores podem ser obtidas em:

http://www.apcor.pt/artigo/eventos.htm

Para mais informações, contacte, por favor:

Joaquim Lima
Director Geral
Tel. 227 474 040
Tm. 918 101 882
E-mail: realcork@apcor.pt
www.apcor.pt

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar