Construção civil

Home / Produtos / Construção e decoração / Construção civil

Do edíficio à barragem

Na construção civil, as caraterísticas únicas da cortiça potenciam a sua utilização em revestimentos e pavimentos de edifícios. Do soalho ao telhado, em paredes ou janelas, a cortiça é sinónimo de conforto, é antialérgica e durável. A melhoria da eficiência energética numa sociedade cada vez mais ecológica é também uma vantagem que sobressai neste material.

A aplicação da cortiça na construção é, ainda, encontrada em juntas de dilatação, recheios de caixas de ar, em câmaras frigoríficas, coberturas de tubagens de aquecimento e ar condicionado e nas bases de máquinas para absorção de vibrações e ruídos. Pelas suas capacidades únicas, a cortiça é também utilizada em betões leves e juntas de expansão para estradas, pontes, caminhos de ferro, barragens ou aeroportos.

Propriedades únicas

100% Natural

A cortiça é uma matéria-prima 100% natural, 100% reutilizável e 100% reciclável.

Elasticidade

A cortiça é um material especialmente elástico e resistente graças à sua engenhosa estrutura celular. Cada centímetro cúbico é composto de 40 milhões de células altamente flexíveis, tornando-a compressível e muito elástica. Isto significa que volta sempre à sua forma original depois de ser submetida a qualquer pressão, absorvendo os choques e diminuindo a pressão sobre os pés, pernas, articulações e costas.

Resistência ao Desgaste

Para além de ser um material extraordinariamente resistente ao desgaste, a cortiça, graças à sua estrutura em favo de mel, é muito menos afetada pelo impacto ou atrito do que outras superfícies duras.

Resistência à água

Devido à presença de suberina, a cortiça é um material naturalmente impermeável e pode ser utilizada, sem qualquer risco de apodrecimento, em cozinhas, casas de banho (inclusive na zona do duche) e em espaços exteriores.

Isolamento Térmico

A cortiça é um dos isolantes mais antigos do mundo e seguramente o melhor. Mais uma vez, graças à sua estrutura celular, é capaz de absorver calor e de o conservar por muito tempo.
Revestindo pavimentos e paredes com cortiça é possível obter significativas economias com sistemas de aquecimento.

Isolamento acústico

Os 40 milhões de células presentes em cada centímetro cubico de cortiça funcionam como um autêntico absorvedor de decibéis. Fazendo da cortiça o isolante perfeito para quartos de crianças, escritórios, bares e restaurantes.

Antiestática e hipoalergénica

Os pavimentos em cortiça são extremamente higiénicos e contribuem para um espaço mais limpo e saudável. Ao não absorverem pó e ácaros, os pavimentos em cortiça são sem dúvida o material indicado para todas as pessoas que sofram de alergias e de asma.

Manutenção Fácil

A camada superior de um revestimento em cortiça, seja numa parede ou num pavimento, é feita para facilitar a sua manutenção, não sendo necessária a aplicação de qualquer tratamento ou proteção específica.

Material moderno e de futuro

Com novas aplicações, cores, texturas e dimensões a serem exploradas todos os dias, a cortiça deixou de ser um material do passado para se transformar num dos mais excitantes e desafiantes materiais do presente cada vez mais projetado no futuro.

Do Soalho ao Telhado

A cortiça em pavimentos permite regular a temperatura ambiente, dado o seu desempenho como isolante térmico e acústico. Desta forma, proporciona conforto em locais que necessitam de cuidados especiais, como por exemplo, hospitais, escolas, jardins de infância, teatros, cinemas, edifícios comerciais, salas de conferências. Os pavimentos com cortiça amortecem os choques dado a sua elasticidade, diminuem o ruído devido à sua capacidade de absorção, e são confortáveis, naturais, ecológicos, higiénicos, resistentes e de fácil manutenção. A aposta no design e nas mais avançadas tecnologias de preparação e o tratamento de superfícies permitem disponibilizar os mais variados tipos de texturas, cores e formatos que acompanham as tendências da moda.

Todos os anos surgem novos produtos com base na cortiça como novas coleções de pavimentos que refletem visuais semelhantes a outros materiais – como madeira, couro, pedra, etc.. Aparecem no mercado novos produtos com diferentes texturas, lisas ou rugosas, com variadas cores e dimensões, que permitem combinações entre pisos de diferentes coleções para facilitar a decoração de ambientes. Surgem ainda outros produtos para aplicações em paredes com uma variedade de cores e texturas.

Obras de Referência

Penitenzieria

O “Penitenziera”, espaço de confissão e oração de milhões de peregrinos que se deslocam a Turim para verem o santo sudário, pano de linho que terá envolvido o corpo de Cristo após a sua morte, é fabricado em cortiça. Fica junto à catedral de Turim.

Nezu Museu

O Nezu Museu inspira-se no conceito da tradicional harmonia japonesa. Os materiais selecionados estão em equilíbrio com a Natureza. O pavimento é de cortiça e confere a distinção desejada para o espaço, ao mesmo tempo que proporciona a tranquilidade acústica e visual idealizada.

Pavilhão do Brasil na Expo Milão 2015

A fachada do Pavilhão do Brasil na Expo Milão é de cortiça. Cerca de mil metros de aglomerado de cortiça expandida MD Fachada decoram o edifício num projeto arquitetónico liderado pelo Studio Arthur Casas e pelo Ateliê Marko Brajovic, com consultadoria do Studio Mosae. São 80 mm de espessura de cortiça que garantem um bom nível de isolamento térmico do pavilhão, além de não provocar quaisquer impactos negativos em termos de gases com efeito estufa por se tratar de um material 100% natural.

Observatório do Sobreiro e da Cortiça

O edifício, desenhado pelo arquiteto Manuel Couceiro, é uma metáfora do sobreiro enquanto elemento vivo. É uma estrutura quase orgânica com cortiça nas fachadas e no interior. O auditório tem paredes revestidas a aglomerado negro a remeter para o montado.

Abrigo de Cortiça

CBS – Cork Block Shelter é o abrigo construído pelo arquiteto português David Mares que venceu o concurso “Shelter Competition” lançado pelo Museu Guggenheim, de Nova Iorque, que desafiava os concorrentes a desenharem um espaço para habitação de uma única pessoa no Google StetchUp (programa específico de desenho) e colocá-lo num lugar qualquer da terra através do Google Earth.

Fallingwater

O conhecido arquiteto Frank Lloyd Wright projetou este edifício e usou cortiça nas paredes das casas de banho. A casa da cascata, como também é conhecida, fica na Pensilvânia, Estados Unidos, e foi erguida parcialmente sobre uma queda de água. Foi utilizada como residência de veraneio da família de um homem de negócios, hoje é um museu.

Quinta do Portal

O arquiteto Siza Vieira utilizou aglomerado puro expandido na parte superior, acompanhando toda a fachada, deste edifício.

12
page  1  of  2

Arquitetos que preferem a cortiça

  • Eduardo Souto Moura e Siza Vieira | Pavilhão de Portugal na Expo Hannover 2000, revestimento exterior feito parcialmente em cortiça.
  • Siza Vieira | Armazém de envelhecimento da Quinta do Portal, revestimento exterior em cortiça, Douro, Portugal.
  • Frank Lloyd Wright | Fallingwater, paredes de casa de banho, Pennsylvania, Estados Unidos da América.
  • Herzog & de Meuron e Ai Weiwei | Serpentine Gallery, Londres, Reino Unido.
  • Jordi Bonet i Armengol | Pavimento da Sagrada Família em Barcelona, Espanha.
  • José Carlos Cruz | EcorkHotel, revestimento exterior em cortiça, localização em montado, Évora, Portugal.
  • Flavio Barbini e João Silva | Eco-cabana, construção integral em cortiça, Cascais, Portugal.
  • Carlos Couto | Pavilhão de Portugal na Expo Xangai 2010, revestimento exterior em aglomerado expandido e pavimentos interiores.
  • M&B Architects&Interiors | Revestimento e pavimento da Green House Hotel, Cidade do Cabo, África do Sul.
  • Jordi Fornells | Villa Extramuros, pavimentos e revestimentos exteriores e interiores em cortiça, Arraiolos, Portugal.
  • Carrilho da Graça | Combinou cortiça e betão para criar um novo material de construção para usar no novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa.
Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar