Impacto Ambiental e Preferência do Consumidor reforçam vantagens competitivas da Cortiça face aos vedantes derivados de petróleo

Home / Impacto Ambiental e Preferência do Consumidor reforçam vantagens competitivas da Cortiça face aos vedantes derivados de petróleo

O World Wide Fund (WWF), em comunicado à imprensa, deixou um alerta para a preservação das florestas de sobro, condição para a sustentabilidade de um ecossistema inigualável e da economia das regiões que delas dependem. Por este facto, a Associação Portuguesa de Cortiça (Apcor) agradece o apelo deixado por esta prestigiada associação ambientalista que reconhece na fileira da cortiça uma importância inigualável para as regiões mediterrânicas e, em especial, Portugal, como líder na produção e transformação da cortiça.

 

A organização WWF regista, ainda, o facto deste ecossistema estar em extrema dependência de um único sector e, mais especificamente, de um produto – rolha de cortiça – que com o surgimento de outros produtos pode ver a sua produção reduzida. No entanto, a Apcor assinala que todo o trabalho que está a ser levado a cabo pela indústria, com os sucessivos e graduais investimentos na qualidade do seu produto nobre, terá repercussões positivas num futuro próximo. “Esta situação já se verifica em importantes mercados internacionais como os EUA e a Austrália, que, após a experiência com outros vedantes, voltam a considerar a cortiça como vedante preferencial”, afirma o presidente da Apcor, António Amorim.

 

Ao nível da floresta registe-se a aposta da fileira na certificação que irá contribuir para uma cortiça de melhor qualidade, facto que o WWF também refere no seu comunicado. Cabe ainda acrescentar que foram plantados, nos últimos anos, mais de 130 mil hectares de sobreiros em Portugal e Espanha o que aumentará significativamente a produção desta matéria-prima no médio e longo-prazo.

 

A preferência dos consumidores

 

Uma vez que a rolha de cortiça é o produto que permite sustentar o sector, o alerta deixado pelo WWF é dirigido aos consumidores e produtores de vinho que têm a opção de escolha entre a cortiça e outros vedantes, como a cápsula de rosca ou o vedante de plástico. Ao escolher cortiça, como refere o WWF, potenciamos um produto amigo do ambiente. A opção por vedantes de metal e derivados de petróleo, no entanto, requer não apenas a utilização de enormes quantidades de energia, mas também a utilização de combustíveis fósseis para a sua produção industrial. A combinação destes dois factores é altamente perniciosa para o meio ambiente, pelo que a opção cabe, em última análise, a todos os consumidores

 

Esta preferência já é demonstrada pelos recentes estudos realizados. A Apcor, num recente estudo de mercado desenvolvido nos Estados Unidos e inserido na Campanha Internacional da Cortiça, constatou que nove em cada dez consumidores pensam que um vinho que não esteja vedado com cortiça é sinónimo de um vinho de baixa qualidade.  

 

Estes resultados confirmam anteriores inquéritos:

 

§          Em 2005, o inquérito on-line da Wine Spectator revelou que 81% dos consumidores preferem rolha de cortiça, enquanto que apenas 18% preferem as cápsulas de alumínio.

 

§          Em 2004, a Wine Intelligence, um líder mundial na consultadoria da área vinícola, conduziu um estudo sobre as atitudes dos consumidores norte-americanos face a dois tipos de vedante: rolhas de cortiça e cápsulas de alumínio. Dois terços dos inquiridos consideram que é positivo comprar um vinho vedado com cortiça, 52% rejeitam as cápsulas de alumínio e apenas 1% disseram que não gostavam de beber vinho vedado com cortiça.

 

Associação Portuguesa de Cortiça (Apcor)

 

A Apcor tem como missão representar e promover a indústria portuguesa da cortiça, representando cerca de 300 empresas, que no seu conjunto são responsáveis por cerca de 80% da produção nacional total e 85% das exportações de cortiça. É também responsável pelo desenvolvimento de acções de promoção e valorização da cortiça através da realização de iniciativas de carácter nacional e internacional, disponibilizando, ainda, um centro de informação.

 

Para mais informações, contacte, por favor:

Joaquim Lima

Director Geral

Telm. 918 101 882

 

Elisa Pedro

Directora de Comunicação

e de Relações Internacionais

Telm. 914 396 823

 

Tel. 227 474 040

E-mail: realcork@apcor.pt

www.realcork.org

 

Contacte-nos

Não legível? Mude o texto. captcha txt

Começe a escrever e pressione Enter para procurar